Filosofia Acemista

Nosso trabalho é local com alcance global

BASE DE PARIS (1855)

 

Por apresentar uma proposta de reflexão necessária à maioria dos países na época, o movimento acemista se expandiu rapidamente. Para garantir a unidade de trabalho nessas diferentes localidades, em 22 de agosto de 1855 foi realizada a 1ª Conferência Mundial, em Paris / França, da qual participaram delegados de ACMs da Inglaterra, Escócia, Holanda, Estados Unidos, França, Canadá, Bélgica e Alemanha. Nela foi aprovada a Base de Paris, linha filosófica das ACMs em todo o mundo. A Base de Paris estabeleceu que:

base-paris“As Associações Cristãs de Moços procuram unir aqueles que, considerando Jesus Cristo como seu Deus e Salvador, de acordo com as Sagradas Escrituras, desejem, em sua fé e na sua vida, serem discípulos Dele e trabalharem juntos para estenderem entre os jovens o reino de seu Mestre.”

“Que as divergências de opiniões sobre outros assuntos, por mais importantes que sejam, mas que não estejam incluídos no princípio anterior, não deverão interferir nas relações harmoniosas das Associações Confederadas.”

Ao longo dos anos, novos documentos filosóficos foram sendo incorporados à organização, reafirmando sua missão e fazendo importantes avanços quanto a seu papel frente à sociedade:

DECLARAÇÃO DE TOZANSO (1965)

A Declaração oficial do Conselho Mundial celebrado em Tozanso, Japão em 1965 define a ACM da seguinte forma:

A ACM é uma Organização Cristã

Em sua sede se encontram cristãos, leigos que, “considerando a Jesus Cristo como seu Salvador e seu Deus, desejam ser discípulos e trabalhar juntos para a extensão de seu Reino”.

A ACM e seu programa na comunidade local e por todo mundo é o meio através do qual estes cristãos leigos cumprem parte de sua obrigação a serviço de Cristo. A ACM coopera com as igrejas em seus ministérios e ensinamentos. No entanto, não está aliada a nenhuma religião ou denominação; seus líderes e associados pertencem a qualquer religião cristã. Assim mesmo acolhe pessoas de outras crenças e aqueles, difíceis de aceitar qualquer fé, são recebidos e participam de suas atividades.

A ACM é uma Organização de Voluntários

Seu propósito está formado pela mesma ACM. Seu apelo para chamar associados, líderes, está dirigido àqueles que desejam associar-se ao trabalho em prol destes propósitos. Apesar que as ACMs frequentemente levam a cabo serviços em acordo com os governos e em certos casos, com ajuda governamental, mantém seu caráter voluntário independente e seus líderes estão alertas para salvaguardá-la.

A ACM é um Movimento Juvenil

Apesar de haver variedades de idades que cobrem suas atividades, seu principal interesse se fixa na geração presente. A maior parte de seus associados e outros participantes são jovens de escolas e universidades, e jovens que trabalham.

Alguns têm criado programas para a educação e saúde em nível adulto, estes se encontram tipicamente entre os homens e mulheres mais jovens. Seus lideres são maduros, porém jovens.

A ACM é uma Organização Internacional

As unidades básicas do movimento são as ACMs locais. Estas ACMs estão unidas, por meio de um agrupamento nacional e regional, em um Movimento Mundial, ao qual a Aliança Mundial dá significado e propósito. Através de sua afiliação à Aliança Mundial e pelas relações diretas da ACM, o Movimento Membro vive para si.

A ACM é uma Organização de Associados

A ACM oferece seus serviços tanto a associados como a não associados com o objetivo de suprir as necessidades de determinadas situações, mas consiste em seu centro, aqueles que conscientemente se associaram para levar a cabo seu propósito e para quem aceita certa responsabilidade dentro de seus grupos pequenos, da sua ACM. Os secretários profissionais têm importantes responsabilidades nas ACMs e na formulação da política. No entanto o máximo controle descansa não com estes secretários profissionais, e sim com os membros e dirigentes eleitos e outras autoridades: as forças leigas. O trabalhador profissional ajuda a desenrolar o espírito de associados a ser mais eficaz.

A ACM é uma Fraternidade

Na comunidade, na nação e no mundo, busca através de seus membros, de seu programa e como expressão de seu propósito, ser uma fraternidade que une os laços da confraternidade, a pessoas de toda classe, credo, cor e nacionalidade.

A ACM educa para uma Cidadania Responsável

A ACM educa para uma cidadania responsável e liderança, mas é uma organização apolítica. Deve ter percepção social e deve contribuir para formar consciência. Ajuda seus associados a estarem informados e a se interessarem sobre a política pública de seus países e do mundo. Ajuda-lhes no desenvolvimento de sua capacidade para cumprir com suas responsabilidades de cidadãos e lhes dá oportunidades para unirem-se na construção da nação. Mas tudo isto só realiza sem aliar-se politicamente como organização.

A ACM mantém um Programa Diversificado

A ACM realiza seu trabalho principalmente através de pequenos grupos. Se interessa pelo desenvolvimento mental e corporal de seus associados. Seu programa variado é o resultado de intenções deliberadas para proporcionar uma ampla gama de pontos de fácil contato com os indivíduos para preencher as necessidades dos membros e na vida diária: trabalho, escola, família, recreação e expressar de diferentes maneiras sua preocupação cristã com essas pessoas.”

DECLARAÇÃO DE KAMPALA (1973)

A Declaração de Kampala (1973) foi a primeira grande revisão da Base de Paris. Ela reafirmou os princípios da “Carta Mãe” da ACM e determinou políticas de atuação para a ACM Mundial.

“Reconhecendo o caráter das Associações Cristãs de Moços no mundo de hoje, este ato de reconhecimento da Base de Paris coloca sobre as várias associações e seus membros como cooperadores de Deus, imperativos tais como:

• Trabalhar para que todos tenham oportunidades iguais e exista justiça para todos.

• Trabalhar para obter e manter um ambiente onde o relacionamento entre as pessoas se caracterize pelo amor e compreensão.

• Trabalhar para obter e manter dentro das ACMs e da sociedade, com suas organizações e instituições, condições que levem em conta a honestidade, a profundidade e a criatividade.

• Desenvolver e manter a liderança e programas que sejam exemplos da variedade e profundidade da experiência Cristã.

• Trabalhar para o desenvolvimento integral do ser humano.”

DESAFIO 21 (1998)

O Desafio 21 é o documento que pauta os caminhos e projetos da ACM no plano global e foi uma revisão dos princípios estabelecidos na Base de Paris. Ele reafirma os valores iniciais da ACM e transmite de forma clara as maneiras de colocar em prática as aspirações da instituição.

“Ao ratificarmos a Base de Paris adotada em 1855, como subsequente declaração fundamental de missão da ACM no limiar do terceiro milênio, declaramos que a ACM é um movimento cristão, ecumênico, voluntário e mundial a serviço de todos, mulheres e homens, jovens e velhos, e que procura compartilhar o ideal cristão de construir uma comunidade humana de justiça com amor, paz e reconciliação com plenitude para a vida e para toda criação.

Cada ACM filiada está, portanto, chamada a enfocar desafios que serão priorizados de acordo com o contexto de cada uma delas. Esses desafios, que se constituem numa evolução dos princípios de Kampala adotados em 1973, incluem:

• Compartilhar as boas novas de Jesus Cristo e lutar pelo bem estar espiritual, intelectual e físico das pessoas, e integridade das comunidades como um todo.

• Propiciar condições para que todos, especialmente jovens e mulheres, assumam mais responsabilidades e liderança em todos os níveis, e trabalhar em prol de uma sociedade mais justa.

• Defender e promover os direitos das mulheres e preservar os direitos das crianças.

• Estimular o diálogo e a parceria entre as pessoas de diferentes credos e ideologias e reconhecer as peculiaridades culturais das pessoas, promovendo a ampliação dos seus horizontes culturais.

• Comprometer-se a trabalhar em solidariedade com os pobres, despojados, desarraigados e minorias raciais, religiosas e étnicas oprimidas.

• Procurar ser mediadora e reconciliadora em situações de conflito e trabalhar em prol de uma significativa participação e progresso das pessoas para sua própria autodeterminação.

• Defender a criação de Deus de tudo que possa destruí-la e preservar e proteger os recursos da Terra para as futuras gerações.

Para fazer frente a esses desafios, a ACM desenvolverá padrões de cooperação em todos os níveis, a fim de assegurar a sua autosustentação e autodeterminação.”

QUER MAIS INFORMAÇÕES?

Entre em contato conosco para receber um atendimento personalizado.

Se preferir, ligue para (51) 3213.6000.